A nova geração da Yamaha Lander

Agora batizada de Yamaha XTZ 250 Lander ABS 2019, chegou ao mercado por R$ 16.990, nas cores azul, branca e preta equipada com um novo quadro, freio ABS dianteiro, e farol e lanterna de led. A moto é confortável, ágil no trânsito e fácil de mudar de trajetória durante a condução. E o tempo de garantia aumentou de três para quatro anos.

Com 11.018 unidades emplacadas em 2018, a Lander tem como principal rival a Honda XRE 300 (R$ 18.200), com 23.815 emplacamentos no mesmo período. As qualidades dinâmicas e a proposta fora de estrada da geração anterior foram preservadas.

Já o design foi inspirado na prima maior, a XT 660R. Na dianteira, o visual robusto é reforçado pelo novo para-lama dianteiro, pela carenagem que contorna o farol e pelos protetores dos amortecedores.

Na lateral, destacam-se as abas do tanque redesenhado, que teve ainda a sua capacidade aumentada de 11 para 13,6 litros. Em meu teste urbano, a moto estava abastecida com gasolina e o consumo médio aferido foi de 29,9 km/l (30 km/l se você preferir). O que garante autonomia de 408 quilômetros para rodar na cidade.

O bom nível de conforto é assegurado pelo assento mais largo e com espuma mais rígida herdado da descontinuada Yamaha Ténéré 250. O banco acolhe bem tanto o piloto quanto o garupa, inclusive em deslocamentos mais longos.

A característica combinada com o guidão um pouco mais elevado em relação à anterior, confere uma posição de pilotagem mais natural e agradável.

É gostoso rodar com essa Yamaha mesmo por ruas esburacadas. Isso porque as suspensões copiam muito bem as imperfeições do asfalto, ainda que tenham curso menor do que as da XRE.

São 220 mm de curso na dianteira e 204 mm de curso na traseira, contra 245 mm e 225 mm de curso da Honda, respectivamente. A má notícia para os baixinhos é a elevada altura do assento de 875 mm, nada amigável.

Yamaha XTZ 250 Lander ABS (Foto: divulgação)

YAMAHA XTZ 250 LANDER ABS (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Na dianteira, a suspensão conta ainda com tubos de 41 mm de diâmetro. Enquanto na traseira há um sistema monoamortecido equipado com amortecedor único a gás, ajustável na compressão da mola. Para ajudar a absorver os impactos, e dar estabilidade, as rodas de 21” na dianteira e 18” na traseira calçam pneus Metzeler Tourance 80/90R21 na frente, e 120/80R18 atrás.

Agora, o conhecido motor monocilíndrico, de quatro tempos, flex, adotou um sistema de injeção eletrônica com injetor de 10 furos. O propulsor refrigerado a ar de 249,5 cm³ gera 20,7 cv (gasolina) e 20,9 cv (etanol) a 8.000 rpm, e 2,1 kgfm (gasolina ou etanol) a 6.500 rpm. O câmbio de cinco velocidades oferece precisão nas trocas de marcha.

O motor dá conta de empurrar bem a motocicleta com dois ocupantes, mesmo em ladeiras mais íngremes. As melhores respostas em acelerações e retomadas são fruto do novo sistema de injeção, que melhorou a relação de mistura de ar e combustível. Ainda que vibre um pouco por ser um monocilíndrico. Uma característica natural desses motores.

Yamaha XTZ 250 Lander ABS (Foto: divulgação)

YAMAHA XTZ 250 LANDER ABS (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Girando o punho direito, a moto se mostra ágil e fácil de mudar de direção no trânsito, mesmo com alguém na garupa. Parte desse mérito vai para o novo chassi de aço feito em dupla trave superior com berço duplo feito para acomodar o banco da Ténéré 250 e o novo tanque.

A silhueta alta e esguia torna fácil a passagem pelos corredores em engarrafamentos. E os retrovisores dos carros passam por debaixo da linha do guidão. Pode passar sem medo.

Em termos de segurança, a introdução de sistema de freio ABS na roda dianteira deixou as frenagens da nova Lander mais eficientes. O conjunto é servido de disco de 245 mm de diâmetro com pinça de dois pistões na frente, e de disco de 203 mm de diâmetro com pinça simples na atrás. A adoção de farol de LED trouxe maior poder de iluminação, principalmente à noite. Enquanto a nova lanterna, também de LED, conferiu um toque de modernidade ao conjunto ótico.

E, se por um lado o painel 100% digital poderia ter um acabamento mais refinado, por outro ele oferece boa leitura e agora conta com indicadores de consumo instantâneo e média de consumo. A tela exibe ainda velocímetro, hodômetro total e dois parciais, relógio, tacômetro, além de luzes espia das setas, farol alto, neutro.

A Lander 2019 ficou mais segura, mais bonita e tem preço competitivo. Resta saber se esses atributos serão suficientes para a trail se aproximar em vendas da vice líder do segmento, a Honda XRE – quem lidera é a Honda Bros 160.

Yamaha XTZ 250 Lander ABS (Foto: divulgação)

YAMAHA XTZ 250 LANDER ABS (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Ficha técnica

Motor: Monocilíndrico, 249,5 cm³, 2V, refrigeração a ar, comando simples, injeção eletrônica, flex

Potência: 20,7 cv/8.000 rpm (gasolina) – 20,9 cv/8.000 rpm (etanol)

Torque: 2,1 kgfm a 6.500 rpm

Câmbio: Cinco marchas, por corrente

Sistema de partida: Elétrica

Suspensões: Garfo com tubos de 41 mm de diâmetro com curso de 220 mm na dianteira, e balança traseira tipo monocross com 204 mm de curso

Freios (c/ABS na dianteira): Disco de 245 mm de diâmetro com pinça de dois pistões na frente, e de disco de 203 mm de diâmetro com pinça simples na atrás

Pneus: Metzeler Tourance 80/90R21 na frente, e 120/80R18 atrás

Dimensões

Comprimento: 2,15 m
Largura: 815 mm
Entre-eixos: 1,38m
Altura do banco: 875 mm
Altura total: 1,21 m
Altura mínima do solo: 270 mm
Tanque: 13,6 litros
Peso: 143 kg

Fonte: AUTOESPORTE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *